SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.10 issue110Children nutritional status, microbiological conditions of food, handler and water of kids educational center in São Paulo municipality author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

BEPA. Boletim Epidemiológico Paulista (Online)

On-line version ISSN 1806-4272

BEPA, Bol. epidemiol. paul. (Online) vol.10 no.110 São Paulo Feb. 2013

 

DADOS EPIDEMIOLÓGICOS

Febre maculosa

 

Spotted Fever

Divisão de Zoonozes/CVE/CCD/SES, São Paulo, SP – Brasil

Correspondência/Correspondence to

 

A febre maculosa brasileira foi reconhecida no Estado de São Paulo, pela primeira vez, em 1929. Após um período de silêncio, constatou-se sua reemergência com a confirmação laboratorial dos primeiros casos em Pedreira, em 1987, seguindo-se registros em Campinas e São João da Boa Vista, Piracicaba, Salto, Mogi das Cruzes, Santo André, São Bernardo, Diadema, Ribeirão Pires, Mauá e a Capital. A doença passou a ser de notificação compulsória no Estado de São Paulo a partir de 2002, porém o sistema de informação só foi implantado em 2007. De 2003 a 2012 foram confirmados 465 casos de FMB em território paulista, com 182 óbitos e letalidade que variou de 20% a 54,4%. Considerada uma doença reemergente e aparentemente em expansão, a letalidade vem se mostrando muito elevada, principalmente quando comparada com a de Estados onde a FMB é endêmica. Importante observar que a febre maculosa brasileira tem tratamento, cujo sucesso depende da precocidade de seu diagnóstico. A implementação da vigilância epidemiológica da FMB irá contribuir para confirmar se está ocorrendo uma expansão das áreas de transmissão ou apenas uma melhor detecção de casos em áreas onde a doença era desconhecida.

 

Correspondência/Correspondence to
Divisão de Zoonozes/CVE/CCD/SES, São Paulo, SP – Brasil