SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.12 número2População quilombola no Norte de Minas Gerais: invisibilidade, desigualdades e negação de acesso ao sistema público de saúdeSecretaria Especial de Atenção à Saúde Indígena: desafios índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Artigo

Indicadores

  • Não possue artigos citadosCitado por SciELO

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Bookmark


BIS. Boletim do Instituto de Saúde (Impresso)

versão impressa ISSN 1518-1812

Resumo

FAUSTINO, Deivison Mendes  e  SPIASSI, Ana Lucia. Movimento negro, vulnerabilidade e saúde. BIS, Bol. Inst. Saúde (Impr.) [online]. 2010, vol.12, n.2, pp. 162-166. ISSN 1518-1812.

RESUMO O artigo discute resultados da pesquisa “Sensibilidade e potencialidades das organizações do movimento negro para a promoção da saúde e prevenção às DST/Aids”, destacando os que possibilitem refletir sobre os dilemas e possibilidades da participação do movimento negro na saúde. A análise dos temas prioritários na agenda do movimento e das possibilidades de interlocução com a saúde enfatiza suas potencialidades em reunir elementos dialógicos capazes de complementar a construção de consensos sobre os fenômenos saúde/doença com os sujeitos dessa vivência. Constatou-se grande variedade organizacional e de agendas prioritárias das entidades negras e sua influência nas possibilidades de adesão às ações de saúde. A atuação sobre determinantes sociais de saúde, ocupação dos espaços de controle social e atuação direta junto à população negra, como multiplicadores de informação em saúde, foram indicadas como potencialidades de interlocução que requerem, contudo, a superação de desafios, como o racismo institucional, dificuldade de acesso à informação e financiamento do setor saúde em eventuais parcerias.

Palavras-chave : Movimento negro; vulnerabilidade; saúde da população negra.

        · resumo em Inglês     · texto em Português