SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.12 número2Pobreza, periferia e diversidade cultural: desafios para a saúdePopulação quilombola no Norte de Minas Gerais: invisibilidade, desigualdades e negação de acesso ao sistema público de saúde índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Artigo

Indicadores

  • Não possue artigos citadosCitado por SciELO

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Bookmark


BIS. Boletim do Instituto de Saúde (Impresso)

versão impressa ISSN 1518-1812

Resumo

VOLOCHKO, Anna  e  VIDAL, Natália de Paula. Desigualdades raciais na saúde: mortalidade nas regiões de saúde paulistas, 2005. BIS, Bol. Inst. Saúde (Impr.) [online]. 2010, vol.12, n.2, pp. 143-153. ISSN 1518-1812.

RESUMO Os negros brasileiros são um grupo social vulnerável com desvantagem em várias esferas e maior dificuldade de acesso a bens sociais, inclusive serviços de saúde. Taxas brutas de mortalidade por cor e razão de taxas entre pretos e brancos, em 2005, foram analisadas por causas para os 17 Departamentos Regionais de Saúde (DRS) paulistas. São amplas as desigualdades raciais, em capítulos com alta proporção de causas evitáveis - Doenças infecciosas; Transtornos mentais; Gravidez, parto e puerpério; Mal definidas e Causas externas. Em todos os DRS, exceto Araçatuba, pretos morreram mais que brancos, de 8% a mais na Baixada Santista e Sorocaba a 2, 3 vezes em Registro. A mortalidade de pretos por câncer excedeu à de brancos em 9 DRS e por doenças respiratórias, em 7. Para cumprir o Plano Estadual de Saúde de 2009-2011, é mister que os DRS proponham medidas que garantam a equidade racial na saúde na sua região.

Palavras-chave : Desigualdades racial na saúde; desigualdades geográficas e raciais na mortalidade; Estado de São Paulo.

        · resumo em Inglês     · texto em Português